Roteiro em Paris de 2, 3, 4, 5, 6 e 7 dias. Mais de 25 Pontos Turísticos da Capital Francesa [Com Mapas detalhados + Indicação de transporte]

Roteiro em Paris 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 dias

Você vai a Paris sem contratar um pacote de viagem, ou planeja visitar Paris em breve e não sabe o que fazer? Eu, Marcela Regina, ofereço uma solução. Saiba o que fazer na capital francesa através de um Roteiro em Paris de até 7 dias.

É um enorme prazer poder partilhar de minhas experiências. Montei um cronograma como se fosse sua guia particular. Contudo se sinta livre para desbravar Paris ao seu modo, todo roteiro deve ser flexível conforme a sua vontade.

Vamos para nossa aventura particular?! Vista seu sapato mais confortável e pernas para que te quero, porque Paris te espera!

Dia 1 do Roteiro em Paris: Torre Eiffel, Champs-Élysées e Arco do Triunfo

Dia 1: Roteiro em Paris

By Jen Supaph – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=21617146

Primeiro dia do roteiro em Paris não pode faltar a Torre Eiffel. Na verdade, se você possui apenas um ou dois dias na capital francesa o ideal é não fugir do óbvio, vá para os cartões postais de Paris, tire as fotos clássicas.

A estação de metrô mais próxima da Torre Eiffel é a Estação Trocadéro, ao sair do metrô você se deparará com as vistas mais bonitas da Torre Eiffel, em volto dos resquícios do Palais de Chaillot (Local da Expo de Paris em 1937) e os Jardins du Trocádero. Devido suas escadarias que descem até os jardins, cria uma bela paisagem com a Torre Eiffel ao fundo.

No dia em que visitei o local, estava nublado, mas ainda assim a foto ficou linda.

Eu e Ana Luiza na clássica foto em frente à Torre Eiffel

Reparem que ao fundo é possível ver a ação de vendedores ambulantes, aproveite para pechinchar e comprar os chaveiros da Torre Eiffel para toda a sua família. Não sou tão boa para barganhar, comprei 5 chaveiros por 1 euro, o namorado da Ana Luiza conseguiu 7 pela mesma quantia.

Pode reservar o período da manhã inteiro para este passeio. Após descer as escadarias do Trocadéro, se prepare para subir na Tour Eiffel.

Dica: para visitar o primeiro andar, o acesso é gratuito. Horário de funcionamento: todos os dias das 9:30-00:45.

Saiba que a Torre Eiffel é uma verdadeira praça de alimentação à céu aberto, ou mesmo, um dos mais glamorosos restaurantes do mundo em volto por ferro. À cada andar da Torre você terá uma nova descoberta culinária, refeições de qualidade e opções para todos os orçamentos. Eis as indicações:

  • 58 Tour Eiffel Restaurant (1º andar). Ambiente gourmet promovido pelo chef Alain Soulard.
  • Le Jules Verne (2º andar). Elevador com acesso privado. Restaurante com 1 Estrela Michelin, cozinha assinada pelo chef Alain Ducasse
  • Os Bufés (salgados, doces e bebidas) acessíveis a todos os bolsos se dividem em três locais diferentes – o átrio (aos pés da Torre), 1º andar e 2º andar.
  • Bar a Champagne.(3º andar). Desfrute de uma taça de champanhe no pico da Torre, o valor mínimo de uma taça é 13 euros.
  • Loja de macarons (2º andar). Ótima parada para um café e desfrutar de deliciosos macarons enquanto observa a vista que a Torre Eiffel pode lhe proporcionar.

Dica:  No topo da Torre Eiffel há a reconstrução do escritório original de Gustave Eiffel (seu criador). A cena é composta por personagens realistas feitos em cera, na qual retrata o construtor da torre e sua filha Claire recebendo o famoso inventor americano, Thomas Edison.

Se você ainda tiver folego e gostar de caminhadas descontraídas, convido à você leitor, após descer da Torre continuar perambulando pelo Parque de Champs-de-Mars. Caso contrário, retornaremos a estação Trocadéro e vamos até a estação Franklin D. Roosevelt (linha 9 e 1), desembarcamos no meio da famosa avenida Champs-Élysées. Ou você pode fazer o trajeto a pé conforme o mapa, são 4,1 km da Estação Trocadéro até o Arco do Triunfo.

O período da tarde será inteiramente dedicado ao Champs-Élysées, tendo como grand-finale o Arco do Triunfo (exatamente o final desta avenida).

A avenida mais bela do mundo, na minha opinião, a Champs-Élysée  tem por seu inicio na Place de la Concorde (deixe para conhecer quando for ao Museu do Louvre no dia 2). Além de ser uma das melhores avenidas para se fazer compras pela cidade.

É exatamente isso … compras!!! Vamos aproveitar o uma avenida arborizada de 1.910 metros de extensão, com uma largura de 70 metros, para passear por entre as mais diversas lojas: Zara, Montblanc, Hugo Boss, Cartier, H&M, Lacoste, Nike, Adidas, l’Occitane, Sephora e muitas outras. Ou simplesmente aproveitar uma caminhada prazerosa em um dos legados urbanísticos do Barão Georges-Eugéne Hausmann.

Por último, uma atração gratuita, o Arco do Triunfo, pois não necessariamente é necessário comprar um bilhete para conhecer o monumento, erguido por Napoleão Bonaparte para glorificar as vitórias do povo francês (e a sua própria).

Mais informações sobre a Torre Eiffel e o Arco do Triunfo pode ser visto no artigo sobre os 7 pontos imperdíveis de Paris.

Um ponto de vista único. Do topo do terraço panorâmico, o visual abrange toda Paris.  Bilheteria – tarifa de 12 euros (reduzida 9 euros). Horários: aberto todos os dias (de 1 de abril à 30 de setembro) das 10hs até às 23hs

Agora alguns links para ingressos da Torre Eiffel e Arco do Triunfo:

>> Ingresso da Torre Eiffel com acesso ao Topo >>

>> Acesso ao 2º piso da Torre Eiffel >>

>> Torre Eiffel + Rio Sena >>

>> Torre Eiffel pela Escada + Guia >>

>> Torre Eiffel pela Noite >>

>> Ingresso para o Terraço do Arco do Triunfo >>

Dia 2 – O Museu do Louvre

Dia 2 em Paris

By Benh LIEU SONG – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=2768109

Paris além de romântica é uma cidade que respira arte. Museus são uma atração à parte na cidade. Eu mesma reconheço que apesar de ter me hospedado em Paris num total de dias de quase 1 mês, ainda não consegui conhecer por dentro todas as possibilidades museológicas que a cidade oferece.

Para conhecer o Musée du Louvre é necessário dedicação. Em minha primeira visita, foi o dia mais cansativo de toda a viagem e olha que houve dias em que andei por bairros em meio a uma leve nevasca. Por isso se prepare psicologicamente, pois desbravar o Louvre em todas as suas alas não é para os fracos.

Eu mesma acabei sucumbindo ao cansaço e dividi a visita em 2 dias diferentes, para mim é fácil faze-lo, pois portadores de necessidades especiais não pagam entrada. E lembre-se, o Museu du Louvre inicialmente foi construído como morada de Imperadores, por isso imagine quantas salas diferentes estão disponíveis à visitação.

Informações gerais:

  • Valor da entrada: 17 euros (exposição permanente e temporária) + o áudio guia 5 euros (disponíveis em francês, inglês, italiano, japonês, alemão, coreano e para a salvação de qualquer latino, em espanhol). O áudio guia só serve para as exposições permanentes.
  • Funcionamento: Segundas, Quintas, Sábados e Domingos: 9hs-18hs. Quartas e Sextas: 9hs-21h45. Terças é fechado.

Existem diversos modos de se ter acesso ao Louvre, para mais informações acesse o artigo “O que Fazer em Paris” que descrevo todos os detalhes.

>> Tour Guiado sem Fila >>

>> Ingresso sem Fila para o Louvre + Guia em Áudio >>

>> Apenas a entrada para o Museu sem filas >>

>> Tour pelo museu do Louvre com grupo de até 6 pessoas >>

Período da Manhã:

Usa a entrada Sully e vá direto para o 2º andar. As salas serão dedicadas as pinturas do período de 1350-1850. Ala Richelieu – Pinturas do Norte da Europa. Ala Richelieu e Sully –Pinturas da França. E continue desbravando a arte francesa, no 1º andar, mas agora na Ala Demon.

Agora que estamos no 1º andar aproveite para conhecer também as pinturas da Ala Demon dedicadas à arte dos países Anglo-saxões (Grã-Bretanha e Estados Unidos) (1550-1850), arte espanhola (1400-1850) e arte Italiana (1250-1800)

Após dizer um olá para Gioconda (Monalisa circa 1503) de Leonardo Da Vinci, pausa para o almoço. Desça até o Carrousel du Louvre e aproveite de uma rápida refeição.

Período da Tarde:

Use a entrada Richelieu e visite do térreo até o 1º andar as esculturas francesas (500-1850). Aproveitando que você subiu para o 1º andar novamente, visite nesta mesma ala a exposição de artes decorativas  na Europa (500-1850). Aproveite e visite recintos ricamente decorados com móveis da época em que Napoleão e Josephina residiram no Palácio.

Para concluir, visite na Ala Demon (1º andar e térreo)  as esculturas na Europa (500-1850). Continue pelo térreo da Ala Demon e Sully e conheça as esculturas romanas (100 a.C – 500 d. C.) e gregas (6.500-30 a.C)

Dentro deste trajeto alguns temas foram deixados de lado, como o Egito Antigo e outras civilizações como a etrusca, Oriente próximo e arte Islâmica. O trajeto é baseado exclusivamente na arte europeia por questão de contemplação de um discurso, a regressão histórica, do século XIX até a Antiguidade na Europa. E como pode observar são inúmeras salas para visitar, o que torna extremamente fatigoso se tentarmos ver o acervo em sua totalidade. Sem mencionar à exposição temporária, que em abril de 2018 é dedicada a obra de Delacroix (artista do romantismo francês).

Dia 3 do Roteiro em Paris: Quartier du Montmartre, Moulin Rouge

Roteiro de 3 dias em Paris

By KingKurt22 – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=5534563

Quartier du Montmartre, ele é o coração artístico pulsante da cidade, por sua variedade de atrativos reservo um dia inteiro para passear por este bairro parisiense. Aqui irei resumir alguns pontos principais para desbravar este local.

Primeiro de tudo, é o bairro dos artistas e intelectuais, lugar da vida boemia de Paris, desde a Belle Époque na segunda metade do século XIX. Aqui foi residência de artistas como: Degas, Cézanne, Monet, Van Gogh, Renoir, Toulouse-Lautrec, Salvador Dali, Modigliani, entre muitos outros. Em memória a este passado visite a Place des Tertres, e prestigie os artistas locais.

Agora você terá a melhor vista panorâmica da cidade de Paris, uma parada nas escadarias da Basilique du Sacré-Coeur é obrigatória. Você não irá se arrepender.

Em frente das escadarias de Montmartre tem charmoso carrossel, no entanto quando visitei não estava funcionando.

O Moulin Rouge é uma das suas maiores atrações, aproveite a oportunidade para tirar uma foto em frente ao moinho vermelho (tradução do nome em português). E ainda, se dinheiro não é problema, você pode ver os shows inspirados nas antigas dançarinas de can-can. O show do Moulin Rouge custa em torno de 100 euros.

Na Place Abesses, você verá uma pequena praça onde fica o Muro do Eu Te Amo (Le Mur des Je t’Aime). Trata-se de uma parede onde a frase Eu te Amo está escrita em mais de 300 idiomas. Perfeito para fotos de cartão postal de casais em lua de mel.

Outro detalhe, se você quiser encher suas malas de souvenires e presentes, este é o bairro para você passar horas e horas. Aqui seria uma espécie de “25 de março” parisiense.

Se você ainda tiver folego, uma sugestão é visitar duas pequenas galerias de arte:

  1. Musée de la Vie Romantique. Trata-se de uma pequena casa charmosa que foi revitalizada e montado um museu cujo acervo é dedicado a arte do romantismo (fim da primeira metade do século XIX). Endereço:  16 rue Chaptal 75009 Paris. Acesso: Metrô Saint-Georges (linha 12), Pigalle (linha 2 ou 12), Blanche (linha 2)
  2. Espace Dali. Uma pequena galeria de arte dedicada às esculturas e gravuras de Salvador Dali, um dos maiores mestres do surrealismo. (Quando estive em Paris pela segunda vez, visitei o local por duas vezes, as obras são atrativas e enigmáticas, em 1 hora você é capaz de ver todo o acervo). Endereço: 11 Rue Poulbot, 75018 Paris, França. Acesso: Metrô Abbesses (linha 12)

Para passar em todos estes pontos turísticos você fará uma caminhada, aproximadamente, de 3,2 km, veja o mapa:

O momento ideal para visitar este bairro é de sábado ou domingo, quando as ruas se enchem de turistas e as praças da cidade fervilham com atrações artísticas e musicais.

+ Informações, Ingressos para o seu Dia 3 em Paris:

>> Moulin Rouge + Champanhe >>

>> Tour por Montmartre em Espanhol >>

>> Museu de Montmartre + Jardins de Renoir >>

>> Montmartre: Tour a pé por 2 horas >>

>> Tour Sacré-Coeur + Montmartre + Guia Especialista >> 12 euros >>

>> Tour a pé com guia local >>

>> + Atividades em Montmartre >>

Dia 4 – Centre Georges Pompidou, Musée d’Orsay e Lucernaire

Roteiro em Paris - 4º dia

By Benh – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1861657

Prontos para mais um dia em museus, se você vibrou, que bom! Se não ao final do dia tenho uma sugestão totalmente fora dos círculos turísticos da cidade.

Por questões de montar o melhor trajeto de metrô começaremos o dia com um pouco de arte moderna e arquitetura brutalista do Centro Georges Pompidou e em contraponto você pode visitar à tarde o Museu d’Orsay, uma antiga estação de trem do século XIX, transformada em um museu totalmente dedicado a arte deste período, desde pintores acadêmicos até os pais da futura arte moderna, como Manet e Cézanne.

Roteiro em Paris – Dia 4 pela manhã: Centre Pompidou

Roteiro de 4 dias em Paris

By Nikolai Karaneschev, CC BY 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=53336578

O Centre Pompidou está localizado na Praça Pompidou, 75004 Paris. Acesso: Inúmeras opções: Metrô: Rambuteau (linha 11), Hôtel de Ville (linhas 1 e 11), Châtelet (linhas 1, 4, 7, 11 e 14) RER (Rede Expresso Regional): Châtelet-Les Halles (linhas A, B e D) .

Funcionamento: Aberto todos os dias das 11hs às 21hs.

Após dias agitados, muitas caminhadas. Você já pode perceber que o 4º dia tem a função de ser em um ritmo mais ameno. Podemos descansar um pouco mais e ainda assim se programar para chegar cedo á bilheteria. Além da variada gama de acesso de linhas de transporte publico, o que possibilita evitar varias baldeações, mesmo se você esteja hospedado longe do arousement 4.

Bilheteria: valores para o Museu e exposições + a Vista de Paris 14 euros (reduzida 11 euros). Só o bilhete para o terraço panorâmico (a vista de Paris) é 5 euros.

O Centre Georges Pompidou é uma atração única por si só. Sua arquitetura projetada por Renzo Piano e Richard Rogers é uma mistura de tecnologia com pericia artesanal. O edifício foi concluído em 1977 e revitalizado nos anos 2000.

O Centre acolhe a maior coleção de arte moderna e contemporânea da Europa, e uma das duas primeiras do mundo, com mais de 100.000 obras que datam desde 1905 até aos dias de hoje. Graças à uma politica de aquisições do Centro Pompidou ao apresentar artistas contemporâneos e abrindo-se à arte internacional. Desde então, as suas coleções não param de crescer, nomeadamente graças à generosidade dos seus doadores.

Período da tarde do dia 4: Musée d’Orsay

Roteiro de 4 dias em Paris

By Daniel Vorndran – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=31953569

Funcionamento: aberto de terça à domingo, das 9hs30 até às 18hs. Nas quintas há horário diferenciado das 9hs30 até ás 21hs45. Para nosso cronograma, o ideal é que o dia 4 seja em uma quinta-feira, pois é possível aproveitar para conhecer o acervo com mais calma e tranquilidade.

Bilheteria: acesso as coleções permanentes e temporárias pelo valor de 12 euros (reduzida 9 euros). Ingresso gratuito no primeiro domingo de cada mês, menores de 18 anos e visitantes com necessidades especiais.

Um pouco de história … O Musée d’Orsay teve lugar na antiga estação ferroviária Orsay, um edifício construído para a Exposição Universal 1900 Portanto, o edifício é, de alguma assim, o primeiro “trabalho” das coleções do Musée d’Orsay que apresenta a arte das poucas décadas que decorreram entre 1848 e 1914.

Acervo: Um museu nacional multidisciplinar, pois apesar de uma restrição temporal de menos de 100 anos, conforme mencionado no paragrafo anterior, a variedade de tipos de suportes supre essa limitação. O acervo é formado por coleções de pinturas, esculturas, exemplares de artes decorativas, fotografias, artes gráficas e por ultimo sua própria arquitetura (mistura de estrutura metálica, tijolos e vidro) cria uma atmosfera única para um museu. Destaque: para o relógio da estação que se mantém em sua posição original, logo a cima do saguão de entrada, confere um ar de sofisticação e charme para as instalações do Museu d’Orsay.

Reserve o seu ingresso:

>> Museu de Orsay 1 Dia com Acesso Reservado >>

>> Entrada Sem Fila Museu de Orsay + Orangerie >>

Dia 04 em Paris pela noite: Lucernaire

roteiro-em-Paris-dia-4

By LPLT – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=10660256

Após um dia de grande enriquecimento cultural, que tal coroar o seu dia visitando o espaço Lucernaire.

O Lucernaire é um espaço cultural parisiense, nascido de uma antiga fábrica abandonada, dedicado as mais variadas manifestações artísticas: teatro, musical, cinema e espaço itinerante de galeria de arte. Além de o estabelecimento possuir uma livraria dedicada à livros de teatro, ciências humanas, cultura mundial, literatura e ainda contar com quadrinhos, CDs e DVDs.

Se vivenciar a vida cultural parisiense for um problema para você devido a barreira do idioma, ainda assim vale a pena conhecer o espaço, pois além de toda a estrutura descrita, o local tem um restaurante e bar.

O restaurante funciona das 12hs às 14hs30 e depois retorna a abrir das 19hs às 23hs (terça-sabado). Seu cardápio está disponível online, atenção que o menu do almoço é diferente do jantar e seus valores atendem ao bolso de qualquer cidadão ou turista.

O bar funciona segundas (09hs-21hs), terças à sextas (09hs-00hs30), sábados (10hs-00hs30) e domingos (11hs-21hs).

Dica: o happy hour (18hs-21hs) conta com cerveja e cocktails de fruta por 4 euros. Ótimo local para se descontrair e se misturar entre os cidadãos parisienses.

Dia 5 do Roteiro na Cidade Luz: Place de la Concorde, La Madeleine, Ópera Garnier, Sainte-Chapelle, Notre-Dame e Panthéon

Paris - 5º dia de Roteiro

 https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=193806

Visite os principais monumentos da cidade e o melhor de tudo, gaste pouco.

Você pode realizar esse percurso caminhando (por volta de 6 km) ou de metrô, todos os passos no mapa abaixo.

Primeiro ponto para o 5º dia de roteiro em paris, tenha em mente que as Igrejas são verdadeiros museus gratuitos.

Ponto de Partida: Vá até a estação Concorde (linhas 1, 8 e 12) e visite o Obelisco da Place de la Concorde (o início da avenida Champs-Élysées)

Siga ao norte de Rue Royale até a Place de la Madeleine. Ao centro você encontrará uma construção que parece um templo da antiguidade, na verdade, trata-se da Igreja La Madeleine, uma igreja dedicada à Maria Madalena, construída no século XIX.

Curiosidade: o funeral de D. Pedro II aconteceu nesta igreja.

A Igreja La Madeleine está aberta todos os dias das 9hs30 até às 19hs.

Dica: a missa de domingo do horário das 11hs é uma missa solene que conta com 2 órgãos e apresentação do coral da Madeleine.

Siga á pé por 8 minutos pelo Boulevard des Capucines até o nº10 Place de L’Ópera, em seu centro você irá se deparar com uma magnifica construção Ópera Garnier, o teatro em estilo neobarroco construído pelo arquiteto Charles Garnier em 1861 durante o processo de revitalização urbanísticas comandado por Napoleão III e o Barão Haussmann (o prefeito da cidade na época)

É possível marcar uma visita guiada por toda a Ópera Garnier  o valor de 2 tickets (validos por 1 ano) é de 30 euros incluindo 2 vouchers de áudio guia. Mesmo que você não tenha a possibilidade de realizar a visita em seu interior, ou ainda, ver algum espetáculo que esteja em cartaz. Só de ter a experiência de contemplar sua elaborada fachada já vale a caminhada.

Em frente a esta construção, você encontrará a estação Ópera (linha 7) vá até a estação Châtelet e faça baldeação para a linha 4 e desça na estação seguinte Citè (trajeto de 11 minutos). Agora você se encontra na Île de la Citè, onde faremos duas paradas.

Primeiro visitaremos a Igreja de Sainte-Chapelle, 8 Boulevard du Palais, 75001 Paris. Uma magnifica igreja gótica construída em 1240, toda a sua decoração é baseada em vitrais que partem do chão até as abóbodas do térreo. Em dias iluminados por uma luz solar intensa, parece que você se encontra dentro de um relicário.

Infelizmente é cobrada entrada para visitar esta igreja, devido uma grande procura do público de turistas, o bilhete é no valor de 10 euros (reduzida 8 euros). Aberta à visitação de 1º de abril até 30 de setembro, todos os dias das 9hs até às 19hs.

Ainda dentro da Île de la Citè, aproveite e visite uma das igrejas mais famosas da cidade a Catedral de Notre-Dame de Paris, uma caminhada de 7 minutos, aproximadamente 500 metros.

A Catedral de Notre-Dame é uma das mais antigas igrejas góticas da cidade, sua pedra primordial foi colocada no ano de 1163. Essa igreja dedicada a Nossa Senhora foi imortalizada pelo literato Victor Hugo na obra “O corcunda de Notre-Dame” (1831).  A entrada é gratuita, exceto o áudio guia. Aberta todos os dias do ano das 7hs45 às 18hs45 (aos sábados e domingos, abre meia hora mais cedo). Fique atento, pois não é permitido a entrada de pessoas com bagagens.

Atravesse a Pont au Double e passei pelo Quartier Latin, para maiores informações leia o artigo: Onde ficar em Paris: Melhores bairros. Desbrave o Quartier dos intelectuais, aqui você encontrará livrarias, restaurantes e bares para visitar.

Não deixe de visitar a Igreja dedicada à Santa Genoveva, o Panthéon, no Place du Panthéon, 75005 Paris. É Obrigatório.

Sua arquitetura é inspirada no Panteão de Agripa em Roma. Desde 1874 as paredes são decoradas com telas coladas que descrevem a história de Santa Genoveva e do épico de cristãos e as origens monárquicas de França.

A cripta: Descubra as grandes personalidades enterradas na cripta que desenham a face da nossa identidade nacional. Uma apresentação permanente resume a vida e o trabalho das pessoas ilustres alojadas, de Voltaire e Rousseau a Alexandre Dumas.

O pêndulo de Foucault foi instalado em 1851, desmontado e reinstalado em 1995, demonstra a rotação da Terra.

>>Visita Autoguiada Ópera Garnier >>

>> Tour pela Ópera Garnier com Guia Especializado >>

Dia 6 – Palácio de Versailhes

Roteiro em Paris

By Urban at French Wikipedia – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=50951

Deixe o centro de Paris por um dia inteiro e vá de RER  para zona 5, linha C (amarela), estação final Gare de Versailhes Chantier, há 40 minutos do centro da cidade, mais 20 minutos a pé até os portões do Château de Versailhes e seja recepcionado pela estátua equestre de Louis XIV.

Informações gerais:

  • O Château está aberto todos os dias da semana, exceto às segundas-feiras, das 9hs às 18hs30
  • O acesso aos belíssimos jardins de estilo barroco possui entrada gratuita nos dias em que não houver show das fontes.

O Château de Versailhes é um lugar vivo, com cinco séculos de história para descobrir. Morada da realeza francesa, como o Rei Sol – Louis XIV, Madame de Pompadour, Maria Antonieta e até mesmo o Imperador Napoleão I e sua esposa Josephine, entre tantos outros destaques e reinados.

Durante a sua visita quero destacar um lugar em especial: a Galeria dos Cristais, o salão de festas do Palácio, todo decorado com imensas janelas de um lado do longo e vasto corredor, e do outro lado, várias paredes espelhadas com molduras de ouro, as quais ampliam a sensação espacial do visitante. Além dos inúmeros candelabros e lustres, todos de cristal que transformam o recinto em um lugar mágico.

O Grand TrianonPalacete de mármore rosa e pórfiro com deliciosos jardins – construído por Jules Hardouin-Mansard em 1687, sob as ordens de Louis XIV tinha por interesse abrigar seu caso de amor com Madame de Montespan.

O suntuoso jardim de estilo barroco é organizado em torno de caminhos paralelos ou perpendiculares ao beco real e cuja rota define as áreas arborizadas onde os bosques estão dispostos.

Nas quatro interseções dos principais caminhos, as bacias, construídas na década de 1670, são dedicadas às quatro estações do ano. Ao norte, a bacia de Flora ou Primavera (1674) e a bacia de Ceres ou Verão (1673); para o sul, o Baco ou Bacia do Outono (1674) e o Saturno ou Bacia do Inverno (1677). Na parte inferior do anfiteatro de Latona, na entrada do beco real, um ponto de vista permite que você veja essas quatro bacias de relance.

O jardim é uma atração, a parte, por isso recomendo você reservar um dos períodos do dia só para passear por suas vias, que escondem maravilhosas fontes d’água, belos exemplares da escultura francesa, por exemplo, só para citar alguns: A bacia dos dragões; A bacia de Netuno; A bacia de Apolo e A bacia das crianças douradas.

+ Info e Reserve seu Ingresso nos links abaixo:

>> Ingresso + Guia de Áudio >>

>> Palácio de Versalhes + Show Musical das Fontes à Noite >>

>> Sem Fila: Palácio + Jardins Versalhes + Guia de Áudio >>

>> Entrada Prioritária + Guia de Áudio >>

>> + de 100 tipos de Tours para Versalhes >>

Dia 7 – Jardim de Luxemburgo, Mercado Les Halles, Igreja Saint-Eustache, Galerie Véro-Dodat e Palais Royal

roteiro-em-Paris-dia-7-palacio

By Mister No – https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=54496526

O último dia em Paris é um “pout-pourri” do que vivemos em Paris ao longo da semana. Minha ideia é se despedir da cidade de forma calma, agradável e com atrações que remetam ao que já foi vivenciado, mas de uma forma diferente.

Logo pela manhã, se apronte e utilize a RER (Rede Expresso Regional): até a estação Luxembourg (linha B) para chegar nos Jardins de Luxemburgo, um local ideal para um café da manhã longo e preguiçoso. Aproveite para apreciar a natureza a sua volta, além da bela vista do Palais du Luxembourg, sede do Senado francês.

O Jardim Luxemburgo – e seu palácio, o Palais de Luxembourg – foi criado a mando da rainha Maria de Médicis, esposa do rei Henri IV, em 1612. O jardim foi inspirado no Jardim Boboli, em Florença, onde vivia a família Médicis. Porém, foi o Barão Haussmann, na segunda metade do século XIX, que deu ao jardim o traçado que ele possui hoje.

Destaque: não se esqueça de tirar uma selfie na Fonte Médicis, um dos elementos decorativos mais bonitos do jardim. Encomendada por Maria de Médicis em 1630.

Vamos fazer umas últimas compras, ou no mínimo, montar um último almoço no centro comercial de Paris, Fórum des Halles

A primeira etapa desse projeto foi recentemente inaugurada: se trata do centro comercial – cuja parte externa de 3 níveis foi construída do zero – e sua incrível cobertura chamada Canopée (dossel em português, fazendo alusão à parte superior das florestas, formada pelas copas das árvores).

Nesses 3 níveis externos, além de lojas e restaurantes, se encontram também equipamentos culturais públicos voltados principalmente aos jovens que frequentam a região: biblioteca, conservatório, centro de hip hop, ateliês, mediateca etc.

Além dessa nova área externa, o Forum des Halles possui também 4 andares subterrâneos cheios de lojas (FNAC, Zara, Mango, adidas, Muji etc). A maior parte delas fica aberta também aos domingos de 11:00 as 19:00.

Praticamente ao lado de Les Halles, você encontrará a Igreja Saint-Eustache, com uma fachada de palácio, a Igreja é um belo exemplar de arquitetura gótica. Foi erguida entre os séculos XVI e XVII.

Aberta todos os dias, das 9hs30 às 19hs e aos sábados e domingos das 9hs às 19hs. Dica: aos domingos há a missa das 11hs e 18hs com apresentação de órgão e coral.

Seguindo através do Jardin Nelson Mandela, entre a rue du Coronel e a rue Saint Honoré (ambas desembocam na rue du Louvre) você encontrará o discreto charme da Galerie Véro-Dodat. Se você assistiu MTV nos anos 90, você deve conhecer este local de vista, pois é um dos cenários do vídeoclip “Kiss me” do grupo Sixpence None The Richer, na versão em homenagem ao cineasta François Truffaut (exatamente na cena em que a banda aposta corrida).

Na Galerie Véro-Dodat, faz a ligação entre as ruas Jean Jacques Rousseau e du Bolois. Construída em 1826, a galeria leva o nome de seus fundadores, os açougueiros e investidores imobiliários Véro e Dodat que decidiram abrir essa passagem com espaços para lojas, encurtando o caminho entre o antigo mercado da cidade (Les Halles) e o Palais Royal.

O lugar transpira charme, entre lojas como a sapataria Louboutin você também pode encontrar duas antigas brasseries (um pit stop obrigatório para doces exclusivamente francesas).

Chegamos as galerias do Palais Royal. O lugar é maravilhoso para dar um passeio e olhar as vitrines. Uma união entre a arquitetura clássica do Palais Royal com a beleza dos jardins de seu interior, as galerias parecem um shopping sofisticado a céu aberto.

Galeries du Palais Royal abarca lojas como a da estilista Stella MacCartney assim como também  Marc Jacobs, Pierre Hardy e seus sapatos , Rick Owens – o famoso estilista americano, a sueca Acne Jeans – as calças mais bonitas do mundo, o Salão Shiseido e seus perfumes especiais. Sem esquecer que em torno da praça se encontram dois grandes nomes do vintage, Gabrielle Geppert especialista em Chanel e Dior e Didier Ludot, especialista do pretinho básico.

Esse percurso caminhando é por volta de 3,5 km, veja o mapa.

Espero que este roteiro em Paris lhe ajude para a sua próxima viagem a Cidade Luz, “Au revoir”

Marcela Regina

Simplesmente eu AMO viajar! Sou Mestre em Artes Visuais e graduada em História com ênfase em História da Arte, ambos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Sou um tipico rato de biblioteca, estar entre livros é meu habitat natural. Amo conhecimento e estudar a respeito de diferentes culturas, por isso já estudei diversos idiomas: inglês (fluente - autodidata), francês, italiano e alemão. Atualmente faço curso de japonês.

Related Articles